Facebook-icon  Twitter-icon

 


Iniciado em novembro de 2017, o projeto foi criado com o intuito de recuperar, organizar e disponibilizar, em repositório digital, acervos doados pelos sanitaristas ao Núcleo.

 

Por Waléria Fortes

O Núcleo de Estudos em Saúde Pública do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da Universidade de Brasília (NESP/UnB) apresentou nessa quinta-feira, 08/02,  ao Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) o projeto Acervo dos Sanitaristas. Iniciado em novembro de 2017, o projeto foi criado com o intuito de recuperar, organizar e disponibilizar, em repositório digital, acervos doados pelos sanitaristas ao núcleo.

Iniciativa do NESP em parceria com o CONASEMS e com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), o trabalho tem por objetivo dar seguimento ao processo de recuperação do acervo de grandes nomes do Movimento da Reforma Sanitária Brasileira e de relevância para a construção do Sistema Único de Saúde (SUS). Durante a reunião, foram exibidas partes do processo de digitalização, edição dos documentos, assim como de catalogação, classificação e submissão dos mesmos. Foram exibidos também o logotipo e o site da página, sendo que neste já se encontram dados disponíveis para pesquisa e uma visita ao acervo. Estiveram presentes o presidente do CONASEMS, Mauro Junqueira, o vice-presidente, Willames Freire, o diretor, Hisham Hamida, e a coordenadora do NESP, Ana Valéria Machado.

O projeto prevê a recuperação da história dos professores Gilson Carvalho, José Ênio Duarte, Nelson Rodrigues dos Santos e Guido Carvalho, dentre outros. Reforma Sanitária, Atenção Básica, Financiamento da Saúde, Conferências Nacionais de Saúde e relatos de importantes reuniões são temas de muitos dos documentos doados, estando também entre eles correspondências, ofícios, jornais, revistas, cartas e anotações pessoais. Alguns desses materiais foram doados ainda em vida pelos próprios sanitaristas, e outra parte por familiares.

Todo o acervo, os projetos e as histórias do SUS estão abrigados na Biblioteca Eleutério Rodrigues Neto. Esse material contribuirá para a formação de novos gestores, sanitaristas e profissionais da saúde. A equipe criou um cronograma e, como produto desse projeto, haverá a construção de uma plataforma virtual que disponibilizará os documentos. Essa equipe multidisciplinar é formada por uma arquivologista, Priscila Medeiros, três biblioteconomistas, Josina Vieira, Luciana Santos e Thais Monique, profissionais de Saúde Coletiva, Raelma Paz, Natália Fernandes, Priscila Brito e Elizabeth Alves, e de Tecnologia da Informação, Júlio Cesar e Guilherme Mendonça, um web designer, Tiago Botelho, e estagiários de História e Museologia.

Nesse processo foi adotada a plataforma DSpace, desenvolvida para possibilitar a criação de repositórios digitais com funções de armazenamento, gerenciamento, preservação e visibilidade da produção intelectual, permitindo sua adoção por outras instituições em forma consorciada federada. O sistema foi criado de forma a ser facilmente adaptado. Os repositórios permitem o gerenciamento da produção científica em qualquer tipo de material digital, dando-lhe maior visibilidade e garantindo a sua acessibilidade ao longo do tempo. O trabalho começou com o acervo do prof. Gilson Carvalho, que tomou a iniciativa de doar todo o material ao NESP antes de falecer em 2014.

 
observarh2
 
obteia
 
 
 
 
saudelgbt2
  
oiapss2

Notícias