Facebook-icon  Twitter-icon

 

Por Tamires Marinho

Abordando o tema Saúde Sexual da Comunidade LGBT, a enfermeira Letícia Lima, pesquisadora do Núcleo de Estudos em Saúde Pública do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da Universidade de Brasília (NESP/CEAM/UnB) e integrante do Observatório da Política Nacional de Saúde Integral LGBT, abriu os trabalhos da tarde dessa quinta-feira (10/08) da II Semana da Diversidade da Biologia (SeDiBio), realizada entre os dias 9 e 11 de agosto na UnB, no Campus Darcy Ribeiro.

O evento acontece no Instituto de Biologia da UnB e tem como objetivo promover a difusão de conhecimento acerca de temas que envolvem a saúde, educação e inclusão social das minorias inseridas dentro da Universidade.

Para Letícia, garantir um atendimento de qualidade que supra a todas as necessidades da população considerando suas especificidades, ainda é um grande desafio para os profissionais de saúde que atuam tanto na rede pública quando na rede privada de saúde. “O ensino oferecido atualmente dentro das universidades aos futuros profissionais de saúde não contempla as reais necessidades da população LGBT, pois há um déficit nos processos de ensino de gênero e sexualidade e ainda não ocorre a devida desconexão entre saúde sexual e reprodutiva.”

A pesquisadora destacou ainda a importância da prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e os métodos disponibilizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) tanto para prevenir quanto para tratar as ISTs.

SeDiBio

Em 2017, a Semana da Diversidade da Biologia realiza sua segunda edição de forma 100% independente e colaborativa. O evento conta com a organização de estudantes e colaboração de professores da instituição que durante três dias de atividades promovem ações integradas e de cunho educativo em parceria outros departamentos da universidade.

 
observarh2
 
obteia
 
 
 
 
saudelgbt2
  
oiapss2

Notícias