Facebook-icon  Twitter-icon

 

Andamento da pesquisa que visa analisar o acesso e a qualidade à saúde por parte da população LGBT também foi exibido.

 

obslgbt-valeria-apresenta-prop

Profa. Dra. Valéria Mendonça, coordenadora do Nesp/UnB, apresenta proposta de implantação de Observatório Nacional às lideranças LGBT em evento do DGEP/SGEP/MS. Foto: Ádria Albarado 

 

Lideranças, membros do Comitê Técnico de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) e pesquisadores da área da saúde se reuniram em Brasília nos dias 7 e 8 de agosto para o Seminário de Avaliação do Curso de Formação de Lideranças LGBT e  Controle Social no Sistema Único de Saúde (SUS), e a Reunião ampliada do Comitê Técnico de Saúde Integral LGBT e Comitês Técnicos Estaduais de Saúde LGBT.

 

O encontro foi organizado pelo Ministério da Saúde por intermédio do Departamento de Apoio à Gestão Participativa (Dagep) da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa (SGEP) em consideração aos encaminhamentos do I Seminário Nacional de Saúde LGBT – realizado em novembro de 2013 – e da reunião do Comitê Técnico de Saúde Integral LGBT, ocorrida em março deste ano, que destacaram a importância da formação dos membros dos Comitês Estaduais de Saúde LGBT e de Equidade.

 

Odílio Torres, da Articulação Brasileira de Gays (ArtGay), veio de Goiânia-GO para participar do encontro. Para ele foi uma experiência muito rica participar do curso. “Cito que hoje sou um militante, um ativista diferente porque tive essa oportunidade. Na avaliação vamos discutir melhorias e a importância da continuidade desse curso para que novas lideranças também tenham formações como essa”, comentou.

 

De acordo com Ana Gabriela Sena, consultora técnica da SGEP, as propostas discutidas no encontro serão sistematizadas em relatórios. “Nesta reunião com os comitês o nosso objetivo era fazer um exercício com eles sobre quais ações poderiam ser feitas nos estados, pois no curso de formação nós falamos apenas por eixos o que poderia ser proposto e como percebemos algumas dúvidas, os aqui seja efetivado nos estados”, explicou.

 

sem-lgbt-plateia

Lideranças e membros dos Comitês Técnicos Estaduais da Saúde Integral LGBT participaram do encontro. Foto: Ádria Albarado

 

 

As professoras doutoras Valéria Mendonça e Maria Fátima de Sousa, coordenadora do Núcleo de Estudos em Saúde Pública (Nesp/UnB) e diretora da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (FS/UnB), respectivamente, foram convidadas a participar do encontro nos dois dias.

 

No Seminário de Avaliação, Valéria apresentou a proposta de criação do Observatório da Política Nacional de Saúde Integral LGBT. Para ela, os resultados da avaliação do curso servirão como base de apoio para a instituição do Observatório. “As escutas que conseguimos fazer aqui diante dos depoimentos dos participantes foram muito qualificadas em função do detalhamento, do sentimento que cada um conseguiu construir em função de sua participação no curso e o que os conteúdos recebidos e compartilhados significaram para o fortalecimento do movimento nos estados e municípios”, destacou.

 

Já na Reunião Ampliada, Fátima de Sousa introduziu a apresentação de Valéria sobre a pesquisa “Análise do acesso e da qualidade da atenção integral à saúde da população LGBT no SUS”, realizada pelo Nesp/UnB em parceria com pesquisadores das instituições de ensino e pesquisa das cinco regiões do Brasil.

 

 

Equipe de comunicação Saúde LGBT

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

(55++61) 3340-6863

 

 
 
observarh2
 
obteia
 
 
 
 
saudelgbt2
  
oiapss2

Notícias